testando

Orquídeas... uma lenda de amor!





As orquídeas são flores belíssimas, mas de trato difícil e são a motivação de muitos cultivadores de flores e a elas está ligada uma lenda de amor e paixão.






Na cidade Chinesa de Anam existia uma formosa jovem chamada Hoan-Lan que se divertia a deixar-se amar, desprezando depois todos os que lhe prestavam o seu amor, levando mesmo muitos homens ao suicídio, devido à sua frieza e desprezo.






A determinada altura, um poderoso deus decidiu que Hoan-Lan 
tinha ido demasiado longe e castigou-a. 
E o castigo foi fazer com que a jovem volúvel se apaixonasse perdidamente pelo formoso Mun-Say, sem que este lhe prestasse a mais pequena atenção. 








Hoan-Lan procurou o deus da montanha de Tan-Vien e implorou-lhe ajuda, 
mas este estava tão zangado que a mandou embora. 





À saída da gruta, Hoan-Lan encontrou uma bruxa de pés de cabra 
que lhe ofereceu a vingança contra Mun-Say, a troco da alma da jovem. 





Hoan-Lan aceitou o contrato e a bruxa fez um feitiço 
com uma folha de palmeira e enterrou-a, pronunciou 
umas palavras desconhecidas e desapareceu.






Passados uns dias, Hoan-Lan viu ao longe seu adorado Mun-Say e correu para ele,
mas quando se preparava para o abraçar, 
o jovem transformou-se numa árvore de ébano. 


Nesse momento apareceu a bruxa e disse-lhe que esta era a vingança prometida 
que não lhe permitia a ele amar mais ninguém. 
Hoan-Lan suplicou que o feitiço fosse desfeito mas a bruxa não lhe deu ouvidos.







Chorando junto do amado, ali ficou durante muito tempo 
até que despertou a compaixão de um deus que, 
colocando um dedo na sua testa a perdoou, transformando-a numa flor 
antes que a bruxa lhe retirasse a alma.


No entanto, concedeu-lhe que não se separasse do seu amado, 
vivendo da seiva da árvore. 

Enquanto falava, a jovem ia-se transformando, 
enrolando-se os braços na árvore, numa derradeira súplica. 


E foi assim que apareceu a primeira orquídea, segundo a lenda de Anam.




Fotos by Zininha...Orquídeas do jardim do meu condomínio, onde o amor é o ingrediente que faz toda a diferença...

Ipoméia Rubra... a bela que veio das Índias.




Na minha caminhada haviam ipomeias.
Rubras ... lindas... insinuantes.






Enfeitavam o entrada da pousada à beira mar.
Pássaros, borboletas... recepcionavam a todos.




Ipoméias Rubras... lindas... entre matizes e perfumes
...para quem quisesse ver... sentir... se apaixonar.